Irmãs Vicentinas de Gysegem

Imprensa

Tríduo de Preparação de Votos

Tríduo de Preparação de Votos

TRÍDUO DE PREPARAÇÃO DE VOTOS

Queridas Irmãs e Família Vicentina, estamos em tempo de preparação para os VOTOS TEMPORÁRIOS da Noviça Kelly e dos VOTOS PERPÉTUOS de Irmã Josivânia. É com profunda alegria que pedimos a todos, orações para nossas irmãs e, em especial, para as jovens que irão assumir esse compromisso diante de Deus e do povo de Deus. Dessa forma, junto a elas queremos reafirmar nosso compromisso com a trindade e com os pobres e agradecer por todos esses anos em que nos fizemos presentes junto aos pobres.

Nestes três dias de Tríduo queremos rezar com as professandas e por todas as Irmãs, pelo dom gratuito que é a vocação para a Vida Consagrada Religiosa e pela nossa missão Institucional. Que o Senhor nos conduza neste tempo de preparação, para que todas as nossas comunidades possam celebrar tão grande dádiva que é o ser Servas dos Pobres no mundo e na Igreja.

Queremos contar com todos, reúnam suas comunidades e famílias, para que possamos rezar ao Senhor da Messe para que mande mais operários, mulheres fortes que possam dar continuidade à missão desta Congregação que tem o árduo objetivo que é a promoção da vida.

Agradecemos o carinho e a dedicação com o nosso Instituto e vamos nos preparar para os Primeiros Votos proferidos por Kelly no dia 25 de janeiro e, no dia 02 de fevereiro, para os votos definitivos de Irmã Josivânia. Tenhamos as graças abundantes de Deus por esse mistério de amor celebrado pelas jovens que entregam as suas vidas.


TRÍDUO EM PREPARAÇÃO AOS VOTOS PERPÉTUOS

DE IRMÃ JOSIVÂNIA E
AOS VOTOS TEMPORÁRIOS DA NOVIÇA KELLY


1° Dia do Tríduo

Rezando o VOTO DE POBREZA

“A vivência do Voto de Pobreza como participação na vida dos pobres”


Preparar o Ambiente nas comunidades: Nossas Constituições, imagens dos pobres com os quais trabalhamos e a quem nos remetem os nossos votos, lamparina para iluminar essas realidades.
Preparar o Ambiente nas famílias: Bíblia, Nossa Senhora e uma vela. Os cantos podem ser baixados da internet.


Anim: Nosso Senhor é o caminho que devemos seguir e o exemplo que devemos imitar. Sendo rico se fez pobre por amor de vós, para que fôsseis ricos por sua pobreza. (2 Cor 8,9) Em sua pregação nos ensina que Bem-aventurados são os pobres de espírito, porque deles é o reino dos Céus. (MT 5,3). Para quem quer alcançar a perfeição faz o convite: Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me! (MT 19,21)

Essa pobreza evangélica consiste no abandono voluntário das riquezas e dos bens exteriores deste mundo com o fim de procurar unicamente a Deus. Mas a perfeição da pobreza evangélica não reside simplesmente na mera carência de riquezas ou de bens materiais (pobreza efetiva), senão no desprendimento e desapego voluntário das mesmas (pobreza afetiva): Tudo eu considero perda, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. Por Ele, eu perdi tudo e tudo eu tenho como lixo, para ganhar a Cristo e ser achado nele. (Fl 3,8)

Mantra: Óh luz do Senhor que vem sobre a terra inunda meu ser, permanece em nós!

 

CANTO DE ABERTURA

Refrão: Eis-me aqui, Senhor!
Eis-me aqui, Senhor!
Pra fazer Tua Vontade pra viver do Teu Amor
Pra fazer Tua Vontade pra viver do Teu amor
Eis-me aqui, Senhor!

1. O Senhor é o Pastor que me conduz
Por caminhos nunca vistos me enviou
Sou chamado a ser fermento, sal e luz
E por isso respondi: aqui estou!

2. Ele pôs em minha boca uma canção
Me ungiu como profeta e trovador
Da história e da vida do meu povo
E por isso respondi: aqui estou!

3. Ponho a minha confiança no Senhor
Da esperança sou chamado a ser sinal
Seu ouvido se inclinou ao meu clamor
E por isso respondi: aqui estou!

 

RECORDAÇÃO DA VIDA

Olhando para nossa caminhada vocacional, para o momento histórico que estamos vivendo que tipo de vinho podemos e devemos ser?

 

SALMO

Refrão: O Senhor é minha luz, Ele é minha salvação. Que
poderei temer? Que poderei temer?

1. O Senhor é minha luz, Ele é minha salvação.
O que é que eu vou temer? Deus é minha proteção.
Ele guarda minha vida: eu não vou ter medo, não. (bis)

2. Quando os maus vêm avançando, procurando me acuar,
Desejando ver meu fim, só́ querendo me matar.
Inimigos opressores é que vão se liquidar. (bis)

3. Se um exército se armar contra mim, não temerei.
Firme está meu coração, sempre irei acreditar.
Se estourar uma batalha mesmo assim, confiarei. (bis)

4. A Deus peço uma só coisa, sei que ele vai me dar:
Habitar em sua casa todo tempo que eu durar,
para provar sua doçura e no templo contemplar. (bis)

 

Palavra de Deus – (2º COR 8, 1-9)

Leitura da segunda carta de São Paulo aos Coríntios:
Naqueles dias, 1Irmãos, a graça que Deus concedeu às igrejas da Macedônia. 2Em meio a tantas tribulações com que foram provadas, espalharam generosamente e com transbordante alegria, apesar de sua extrema pobreza, os tesouros de sua liberalidade. 3Sou testemunha de que, segundo as suas forças, e até além dessas forças, contribuíram espontaneamente 4e nos pediam com muita insistência o favor de poderem se associar nesse socorro destinado aos irmãos. 5E ultrapassaram nossas expectativas. Primeiro deram-se a si mesmos ao Senhor e, depois, a nós, pela vontade de Deus. 6De maneira que recomendamos a Tito que leve a termo entre vós esta obra de caridade, como havia começado. 7Vós vos distinguis em tudo: na fé, na eloquência, no conhecimento, no zelo de todo o gênero e no afeto para conosco. Cuidai de ser notáveis também nesta obra de caridade. 8Não o digo como quem manda, mas, para exemplo do zelo dos outros, quisera pôr em prova a sinceridade de vossa caridade. 9Vós conheceis a bondade de nosso Senhor Jesus Cristo. Sendo rico, se fez pobre por vós, a fim de vos enriquecer por sua pobreza.
– Palavra do Senhor.
TODOS: Graças a Deus

 

Preces: Espontâneas

Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com coração caridoso queremos aprender de vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus, renunciando a nós mesmos, para buscar em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.

Pai Nosso.

ORAÇÃO FINAL

Oração dos consagrados e consagradas
Ano da Vida Consagrada (Papa Francisco)

Deus de Abraão, de Isaac e Jacob, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo e nosso Pai, acolhe a oração que Te dirigimos. Olha com benevolência para o nosso desejo de bem e ajuda- nos a viver com entusiasmo o dom da vocação

Pai, que no teu gratuito desígnio de amor nos chamas, na estabilidade ou na itinerância, a procurar no Espírito o teu rosto, faz com que levemos em nós a tua memória: que ela se torne fonte de vida na solidão e na fraternidade, para que, nas histórias do nosso tempo, possamos ser reflexo do teu amor.

Cristo, Filho de Deus vivo, que percorreste os nossos caminhos casto, pobre e obediente, nosso companheiro no silêncio e na escuta, mantém em nós a pertença filial como fonte de amor.

Faz com que vivamos o Evangelho do encontro: ajuda-nos a humanizar a terra e a criar fraternidade, partilhando a fadiga de quem está cansado e deixou de procurar a alegria de quem espera, de quem procura, de quem conserva sinais de esperança.

Espírito Santo, Fogo que arde, ilumina o nosso caminho na Igreja e no mundo. Dá-nos a coragem do anúncio do Evangelho e a alegria do serviço no cotidiano dos dias. Abre o nosso espírito à contemplação da beleza.

Aviva em nós a gratidão e a admiração pela criação, faz com que saibamos descobrir as maravilhas que realizas em cada ser vivo.

Maria, Mãe do Verbo, vela pela nossa vida de mulheres consagradas Vicentinas, para que a alegria recebida da Palavra encha a nossa existência, e o teu convite a fazer o que o Mestre diz faça de nós intérpretes ativos no anúncio do Reino.

Amém.

 

CANTO FINAL

Refrão: Senhor, o Deus dos pobres e do povo sofredor/
Aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor/
Pra nos dar esperança e contar com sua mão/
Na construção do reino, reino novo, povo irmão.

1. Sua mão sustenta o pobre ninguém fica ao desabrigo
Dá sustento a quem tem fome com a fina flor do trigo.

2. Alimenta os nossos sonhos mesmo dentro da prisão
Ouve o grito do oprimido que lhe toca o coração.

3. Cura os corações feridos, mostra ao povo o seu poder
Dos pequenos é a defesa: Deixa a vida florescer.

 

2° Dia do Tríduo

Rezando o VOTO DE OBEDIÊNCIA

“Seguir Jesus Cristo no Instituto das Irmãs de São Vicente de Paulo, vivendo na liberdade e
alegria dos Santos Votos”

Preparar o Ambiente nas comunidades: Nossas Constituições, imagens de mulheres consagradas, a lamparina e a bíblia.

Preparar o Ambiente nas famílias: Bíblia, Nossa Senhora e uma vela. Os cantos podem ser baixados da internet.

Anim: Com relação à castidade, somos chamadas a refletir sobre os três pontos importantes para a vivência desse voto.

Viver a castidade na relação íntima com Cristo: O seguimento de Cristo centra-se em sua pessoa, não em uma ideia. Portanto, a vida inteira da consagrada deve estar enraizada na intimidade com o Senhor. A consagrada que é célibe e casta sabe que não pode caminhar só, sem a presença de Cristo. Ele é quem nos fortalece para vivermos castamente pelo Reino. Ele torna possível o amor célibe em meio às dificuldades e desafios do mundo. A oração e a eucaristia são os caminhos privilegiados para encontrarmos Cristo, caminhos também essenciais para cultivarmos o amor célibe.

Viver a castidade na Fecundidade Apostólica: Também o voto de castidade está orientado a promover nossa missão evangelizadora dos pobres. A entrega ao apostolado em seguimento de Cristo dá sentido ao compromisso de amor célibe e é uma excelente ajuda para alimentar uma castidade fiel. A missão e o serviço proporcionam terreno privilegiado para a capacidade criadora e geradora. O trabalho pela promoção humana, que se expressa na solidariedade com aqueles cujas vidas estão destruídas pela pobreza e pelo sofrimento, eleva o amor casto acima do simples interesse pessoal ao terreno do interesse pelo bem social.

Viver a castidade na Vida em comunidade: o seguimento de Jesus Cristo é uma realidade que só se pode compreender e viver em uma relação fraternal e amistosa. A comunhão verdadeiramente fraterna respalda a consagrada em sua resposta ao dom do celibato que recebeu. A vida comunitária deve ser o espaço privilegiado para viver a dimensão afetiva que todo ser humano carrega consigo.

Mantra: Óh luz do Senhor que vem sobre a terra inunda meu ser permanece em nós!

 

CANTO DE ABERTURA

Se ouvires a voz do vento
Chamando sem cessar
Se ouvires a voz do tempo
Mandando esperar.

Refrão: A decisão é tua
A decisão é tua
São muitos os convidados
Quase ninguém tem tempo

Se ouvires a voz de Deus
Chamando sem cessar
Se ouvires a voz do mundo
Querendo te enganar

O trigo já se perdeu
Cresceu, ninguém colheu
E o mundo passando fome
Passando fome de Deus

 

RECORDAÇÃO DA VIDA

Olhando para nossa história, vamos fazer memória do nosso chamado e de como escutamos a voz de Deus nos chamar e de como São Vicente e Elisabeth atenderam ao chamado de Deus em suas vidas.

 

SALMO

Refrão: Nem mesmo o sol que faz o dia
Brilha mais forte que a palavra que nos guia!

1. Tua palavra pros meus pés é uma lanterna
No meu caminho é a luz que me governa...
– Por isso eu juro e jurando eu sustento:
Obedecer estes teus justos mandamentos!

2. Minha aflição, ó meu Senhor, é de morrer,
Por tua palavra vem fazer-me reviver...
– Que te agradem as ofertas de meus lábios
De tuas leis, ó meu Senhor, me faze sábio.

3. A minha vida mal segura em minhas mãos,
Mas de tua lei é que jamais esqueço não...
– Os malfeitores vêm e prendem-me com laço,
Dos teus preceitos, ó Senhor, jamais me afasto!

4. Teus testemunhos, minha herança para sempre,
A alegria do meu coração contente...
– Eu me dedico a praticar as tuas leis,
Minha recompensa para sempre assegurei!

5. Sol de justiça, Jesus Cristo, meu Senhor,
Tu és do Pai a glória, o brilho, o esplendor...
– Os corações com teu Espírito iluminas,
O teu caminho de verdade e vida ensinas!

 

Leitura da Palavra (Jo 17, 6 – 10, 18-19)

Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste. Eram teus e os deste a mim e guardaram a tua palavra. Agora eles reconheceram que todas as coisas que me deste procedem de ti. Porque eu lhes transmiti as palavras que tu me confiaste e eles as receberam e reconheceram verdadeiramente que saí de ti, e creram que tu me enviaste. Por eles é que eu rogo. Não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. Tudo o que é meu é teu, e tudo o que é teu é meu. Neles sou glorificado. "Santifica-os pela verdade. A tua palavra é a verdade. Como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. Santifico-me por eles para que também eles sejam santificados pela verdade.
– Palavra da Salvação
Todos: Glória a vós, Senhor.

 

Preces: Espontâneas

Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com coração caridoso, queremos aprender de vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus, renunciando a nós mesmos, para buscar em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.

Pai Nosso.

ORAÇÃO FINAL

Oração dos consagrados e consagradas
Ano da Vida Consagrada (Papa Francisco)

Deus de Abraão, de Isaac e Jacob, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo e nosso Pai, acolhe a oração que Te dirigimos. Olha com benevolência para o nosso desejo de bem e ajuda- nos a viver com entusiasmo o dom da vocação.

Pai, que no teu gratuito desígnio de amor nos chamas, na estabilidade ou na itinerância, a procurar no Espírito o teu rosto, faz com que levemos em nós a tua memória: que ela se torne fonte de vida na solidão e na fraternidade, para que, nas histórias do nosso tempo, possamos ser reflexo do teu amor.

Cristo, Filho de Deus vivo, que percorreste os nossos caminhos casto, pobre e obediente, nosso companheiro no silêncio e na escuta, mantém em nós a pertença filial como fonte de amor.

Faz com que vivamos o Evangelho do encontro: ajuda-nos a humanizar a terra e a criar fraternidade, partilhando a fadiga de quem está cansado e deixou de procurar a alegria de quem espera, de quem procura, de quem conserva sinais de esperança.

Espírito Santo, Fogo que arde, ilumina o nosso caminho na Igreja e no mundo. Dá-nos a coragem do anúncio do Evangelho e a alegria do serviço na quotidiano dos dias. Abre o nosso espírito à contemplação da beleza.

Aviva em nós a gratidão e a admiração pela criação, faz com que saibamos descobrir as maravilhas que realizas em cada ser vivo.

Maria, Mãe do Verbo, vela pela nossa vida de mulheres consagradas Vicentinas, para que a alegria recebida da Palavra encha a nossa existência, e o teu convite a fazer o que o Mestre diz faça de nós intérpretes ativos no anúncio do Reino.

Amém.

 

CANTO FINAL

No meu coração sinto o chamado
fico inquieto preciso responder.
Então pergunto: "mestre, onde moras?"
E me respondes que é preciso caminhar.
Seguindo os teus passos fazendo a história
construindo o novo no meio do povo (2x)

Refrão: Mestre, onde moras? Mestre, onde estás?
"No meio do povo, vem e verás." (2x)

Te vejo em cada rosto das pessoas
sua imagem me anima e faz viver
No coração amigo que se doa,
no sonho do teu Reino a acontecer.
Teu Reino é justiça, é paz, é missão,
é a boa nova da libertação. (2x)

 

3° Dia do Tríduo

Rezando o Castidade: Fidelidade e amor no celibato

“Seguir Jesus Cristo No Instituto das Irmãs de São
Vicente de Paulo, vivendo na liberdade e alegria dos
Santos Votos”

Preparar o Ambiente nas comunidades: Nossas Constituições, imagens de Jesus obediente, a lamparina e a bíblia.

Preparar o Ambiente nas famílias: Bíblia, Nossa Senhora e uma vela. Os cantos podem ser baixados da internet.

Anim: Nos dias atuais, não se admite mais a obediência cega. Hoje, é indispensável promover uma obediência ativa, em que todos se sintam responsáveis pelas tarefas a cumprir e iniciativas a tomar. Esse modelo de obediência, com toda a certeza, é mais difícil, sobretudo para quem exerce a função de superior, mas, é aquele que mais se identifica com as indicações no evangelho.

A obrigação de escutar, dialogar provém do próprio sentido profundo da obediência. Ela é literalmente o colocar- se numa atitude de escuta. A verdadeira obediência nasce da convicção de que a Palavra divina parte da Trindade e chega até nós não diretamente, mas pela mediação da palavra das outras pessoas. Por essa razão, a obediência supõe a collatio, ou seja, a capacidade de escutar comunitariamente, em família, oferecendo a cada irmão e irmã a possibilidade de contribuir, com sua fala, para o bem de todos (Viver os votos de obediência na atualidade é sobretudo exercitar a capacidade de escutar.)

Mantra: Óh luz do Senhor que vem sobre a terra inunda meu ser permanece em nós!

 

CANTO DE ABERTURA

Nossos corações em festa / Se revestem de louvor,
Pois, aqui se manifesta / A vontade do Senhor
Que nos quer um povo unido / A serviço da missão
Animado e destemido / Por amor e vocação!

Refrão: Cristo, Mestre e Senhor, Pois, eterno é seu amor
Nesta fonte de água viva /
Somos hoje seus convivas (Bis).

Nossos passos já se encontram / A caminho do altar
Nossas vozes já decantam / O que vimos proclamar
Neste mundo tão bonito / Mas que pede redenção
Nosso "sim" ao Deus bendito / Por amor e vocação!

 

RECORDAÇÃO DA VIDA

Olhando para nossa história, vamos fazer memória do nosso chamado e de como escutamos a voz de Deus nos chamar e de como São Vicente e Elisabeth atenderam ao chamado de Deus em suas vidas.

 

SALMO 139(138)

Tu és a luz, Senhor, do meu andar, Senhor,
do meu lutar, Senhor, força do meu sofrer.
Em tuas mãos, Senhor, quero viver.

1. Meu coração penetras
e lês meus pensamentos;
Se sento ou se levanto,
tu vês meus movimentos,
de todas mi’as palavras,
tu tens conhecimento.

2. Por trás e pela frente,
me envolves, Deus e cercas
pões sobre mim tua mão,
me guias e me acobertas.
O teu saber me encanta,
me excede e me supera.

3. Quisesse eu me esconder,
do teu imenso olhar,
subir até o céu,
na terra me entranhar,
atrás do sol que nasce,
lá irias me encontrar.

4. No seio de minha mãe
tu me teceste um dia.
Senhor, eu te agradeço
por tantas maravilhas,
meus ossos e minha alma
de há muito conhecias.

5. Quando, então, me formavas
misteriosamente,
minhas ações previas,
no livro de tua mente,
meus dias já contados
antecipadamente.

6. Teus planos insondáveis,
ó meu Deus infinito,
somá-los eu quisera
é um areal infindo,
e assim que me desperto,
ainda estou contigo.

7. Como é profundo, ó Pai,
tua sabedoria.
fizeste amanhecer,
em Cristo novo dia,
e por teu Santo Espírito,
qual mãe de amor nos guias.

 

Leitura da Palavra – (1 Tm 4, 8 – 16)

Exercita-te na piedade. Se o exercício corporal traz algum pequeno proveito, a piedade, esta sim, é útil para tudo, porque tem a promessa da vida presente e da futura. Eis uma verdade absolutamente certa e digna de fé: se nos afadigamos e sofremos ultrajes, é porque pusemos a nossa esperança em Deus vivo, que é o Salvador de todos os homens, sobretudo dos fiéis. Seja este o objeto de tuas prescrições e dos teus ensinamentos. Ninguém te despreze por seres jovem. Ao contrário, torna-te modelo para os fiéis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade. Enquanto eu não chegar, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino. Não negligencies o carisma que está em ti e que te foi dado por profecia, quando a assembleia dos anciãos te impôs as mãos. Põe nisto toda a diligência e empenho, de tal modo que se torne manifesto a todos o teu aproveitamento. Olha por ti e pela instrução dos outros. E persevera nestas coisas. Se isto fizeres, tu te salvarás a ti mesmo e aos que te ouvirem.
– Palavra do Senhor
Todos: Graças a Deus.

 

Preces: Espontâneas

Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com coração caridoso, queremos aprender de vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus, renunciando a nós mesmos, para buscar em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu.
Todos: Amém.

 

Pai Nosso

ORAÇÃO FINAL

Oração dos consagrados e consagradas
Ano da Vida Consagrada (Papa Francisco)

Deus de Abraão, de Isaac e Jacob, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo e nosso Pai, acolhe a oração que Te dirigimos. Olha com benevolência para o nosso desejo de bem e ajuda- nos a viver com entusiasmo o dom da vocação.

Pai, que no teu gratuito desígnio de amor nos chamas, na estabilidade ou na itinerância, a procurar no Espírito o teu rosto, faz com que levemos em nós a tua memória: que ela se torne fonte de vida na solidão e na fraternidade, para que, nas histórias do nosso tempo, possamos ser reflexo do teu amor.

Cristo, Filho de Deus vivo, que percorreste os nossos caminhos casto, pobre e obediente, nosso companheiro no silêncio e na escuta, mantém em nós a pertença filial como fonte de amor.

Faz com que vivamos o Evangelho do encontro: ajuda-nos a humanizar a terra e a criar fraternidade, partilhando a fadiga de quem está cansado e deixou de procurar a alegria de quem espera, de quem procura, de quem conserva sinais de esperança.

Espírito Santo, Fogo que arde, ilumina o nosso caminho na Igreja e no mundo. Dá-nos a coragem do anúncio do Evangelho e a alegria do serviço na quotidiano dos dias. Abre o nosso espírito à contemplação da beleza.

Aviva em nós a gratidão e a admiração pela criação, faz com que saibamos descobrir as maravilhas que realizas em cada ser vivo.

Maria, Mãe do Verbo, vela pela nossa vida de mulheres consagradas Vicentinas, para que a alegria recebida da Palavra encha a nossa existência, e o teu convite a fazer o que o Mestre diz faça de nós intérpretes ativos no anúncio do Reino.

Amém.

 

CANTO FINAL

Antes que te formasses dentro do ventre de tua mãe
Antes que tu nascestes, te conhecia e te consagrei
Para se meu profeta entre as nações eu te escolhi
Irás onde enviar-te e o que eu mando proclamarás

Refrão: Tenho que gritar, tenho que arriscar, ai de mim
se não o faço.
Como escapar de ti? Como calar, se tua voz
arde em meu peito?
Tenho que andar, tenho que lutar, ai de mim se
não o faço.
Como escapar de ti, como calar, se Tua voz arde
em meu peito?

Não temas arriscar-te porque contigo eu estarei
Não temas anunciar-me, em tua boca eu falarei
Entrego-te meu povo, vai arrancar e derrubar
Para edificares, destruirás e plantarás.

Copyright © 2020 - Irmãs Vicentinas de Gysegem - Vídeos & Estratégias: TVJ | Design: William | Desenvolvimento: Global W.S.